Fim do Transporte Clandestino em Cotia




A partir do dia 8 de julho de 2002, a administração do Quinzinho determinou que estava expressamente proibido o tráfego de lotações clandestinas no município. Só passariam a transitar os veículos autorizados.

Foi feita uma rigorosa fiscalização pela prefeitura com a promessa de que as peruas clandestinas passariam a ser apreendidas e autuadas. A medida visou complementar a regulamentação, pelo prefeito Quinzinho Pedroso, do transporte alternativo em Cotia.

As lotações licenciadas foram adesivadas com número da linha, itinerário e número do alvará. Para que recebessem a licença de circulação os proprietários dos veículos tiveram que obedecer a uma série de exigências da prefeitura como: ter documentação do veículo e do motorista devidamente regularizados; carros com, no máximo, cinco anos de uso e em perfeitas condições de circulação; veículos segurados e que todos os motoristas tivessem o curso de Direção Defensiva, entre outras.